junho 21, 2011

...


        e de tudo o que me habita e em segundos se aparta de mim 
        
         só a brisa enfeitiçada
               
        a bailar descalça na maresia à beira mar
       
        permanece eterna
                 
                                      abrigo do meu olhar
                                                                                           
                           sem lágrimas para não molhar o mar


(maria)

foto: DevianArt, Ineed Chemical IX

3 comentários:

N. Barcelli disse...

"abrigo do meu olhar
sem lágrimas para não molhar o mar"
Todo o poema é brilhante, mas o final é soberbo.
Os meus parabéns. querida MariahR. És brilhante.
Beijo.

Mel de Carvalho disse...

Maria, ainda que comente pouco, vou sempre lendo e vendo as fotos que coloca na lateral. Sensibilidade e talento são palavras adequadas ao seu trabalho.

Bem haja pela partilha
Mel

Maria José disse...

Boa noite,Maria.Achei interessante o teu blog.Parabéns! Abraço.