junho 25, 2011

...

estreita-se a madrugada
e na calçada as pedras tremem
geladas
gemem blues e melancolia
teço-me em lágrimas 
ainda assim
 
o mar 
a lua
 
os olhos teus
na direcção dos meus
-talvez-

compondo o retrato da solidão
(maria)
Imagem: da Net

3 comentários:

Pruden disse...

MariahR, qué bella composición, me encanta cómo el portugués se llena de sensualidad, de alma, de tristeza, de nostalgia... que acompaña todo tu poema. Oleeeeee

N. Barcelli disse...

Muito bem composto este teu retrato da solidão.
Gostei imenso das tuas palavras. O talento que elas revelam é inegável.
Um beijo, querida amiga Maria.

Liz disse...

Uma solidão tecida com talento... e a solidão não é estar só...!

Beijinhos