janeiro 25, 2011

regresso

( Imagem: Paul Klee)


 Regresso
vinda de lá
longe
tão perto
do
aqui
errante em mim

No olhar guardo
cidades de mil luzes geométricas
e neblinas finas
traquinas
Correm nelas
ventos frescos
miúdos
a tropeçar nas curvas

E são ternas as gotas
que dos céus choram nas tardes mansas
No olhar guardo
os canais a rasgar as ruas
e os barcos multicores
inquietos
sedentos
a clamar o suave afago das marés desocupadas

Na pele trago
sóis de fogo-oiro
deitados
adormecidos
em luas incendiadas
E mares
outros
desejos
espumas
que vêm descansar
nas areias alvas
de brasas
molhadas

Piso nelas
pegadas que quero
bem desenhadas
para não me perder
no oceano das emoções

Regresso
certa que sempre voltarei
antes
mesmo de partir

(maria)



"Viajamos porque é necessário enfrentarmos o desamparo dos dias, ao mesmo tempo que procuramos um lugar para descansar e nele ansiarmos por um regresso" Al Berto

9 comentários:

mary alves disse...

Mesmo sem tempo, um dos sabores dos meus dias é vir ler-te. Ainda que quase sempre silenciosa. O grito também silencioso das tuas palavras não obriga a comentários...não é?
Saudades de ti. De mim. Muitas.
Bj

nacasadorau disse...

Olá Maria!

Li, por aí, somewhere, que tinhas encontrado a ternura.
Fico feliz por ti :)
Gostei muito deste regresso assim como de todas as fotos by you.
Congratulations.

CÉU ROSÁRIO disse...

“…porque metade de mim é partida e a outra metade saudade…”
“…porque metade de mim é o que ouço e outra metade é o que calo…”
“…porque de mim é amor e a outra metade também…”

Beijinhos e boa semana!

Nilson Barcelli disse...

A foto parece-me Copenhaga...
A cidade é lindíssima.
E o teu poema também. Gostei imenso, querida amiga.
Beijos.

Liz disse...

Eu gosto sempre de regressar aqui...
e vou deixando um beijo imenso!

Mel de Carvalho disse...

Maria, de todas as viagens, a maior, porventura a mais audaz, é aquela que fazemos por dentro de nós mesmas na descoberta da palavra, nos canais de que somos matéria e alma.
Li há dias alguém que dizia escrever para não esquecer, ler para viajar. Assim faço, e, nesta viagem a encontrei e por aqui continuo, na imensa gratidão do que partilha.

Beijo
Mel

Nilson Barcelli disse...

Vim à procura de novas viagens... novos poemas...
Mas reli o teu poema, porque me sabe muito bem ler-te.
Querida amiga, bom fim de semana.
Um beijo.

eEUcomISSO [Tassio Bruno] disse...

ola maria, mas quanto tempo q por aqui num passo, num é?

sim, o regrassar é smepre uma das partes mais importantes de nossas vidas. e no fim é mais importante de nossa existencia.

lindo poema minha amiga.
por acaso lembrei-me de uma musica chamada, 'i come home'.

abraços, bjos e ate, de tassio!

Anónimo disse...

A poesia é a libertação do ser, que em palavras fala o que sente, e como falas Maria !!!
Adoro estar aqui.
Beijo do Star à Moon...