fevereiro 23, 2010

parto...

Vou partir

agora que a tempestade amainou
e os ventos ficaram quentes
Vou
feita espuma
e sal
e onda a saltitar na areia
a mergulhar na vaga
Parto
serena
os pés descalços
os braços abertos
vestida de mim
Deixo o antes
esqueço o depois
transporto o agora
Busco sorrisos ciganos
atrás das brumas que já esvoaçam





                                                   Desfaço-me das lágrimas                                                         
deixo-as a morrer no mar
Devolvo o som às palavras
risco a palavra desamor
e reescrevo amor
Reinvento a viagem
reinvento-me a mim
num novo amanhecer
infindo e manso
Numa outra razão
lanço de novo a minha alma a voar
e renasço
Liberta da saudade
parto

(maria)
  (Imagem de Joana N.)

2 comentários:

Azoth disse...

Muito bonito.
Saudações Fraternas..

Maria disse...

Saudações para si...Azoth.
Obrigada pela visita.